domingo, 24 de junho de 2007

"comandos" Portugueses fuzilados

Cor Manuel Bernardo (Escritor)

Quebrando um silêncio prometido de seis meses (passaram apenas três), mas como resultado da investigação que fiz sobre a Guiné, com vista à publicação de um livro em Outubro próximo (Editora Prefácio), houve necessidade de colaborar com a Associação de Comandos no sublime objectivo de homenagear os oficiais, sargentos e soldados "comandos" africanos fuzilados clandestinamente pelo PAIGC depois da independência (com pelo menos duas excepções, feitas antes), em 1974.

Assim e com vista à divulgação desse acto patriótico do descerramento de uma placa, já aprovada pelo Chefe do Estado Maior do Exército, com 53 nomes desses fuzilados (como vingança de terem combatido por Portugal), junto ao Monumento do Esforço Comando, na Amadora, no próximo dia 29 de Junho, Dia Nacional dos Comandos, fiz sair na recente revista "Mama Sume" de Janeiro/Junho 2007, uma pré-publicação desse livro ("Guerra, Paz e ... Fuzilamentos dos Guerreiros; Guiné 1970-1980") e onde o tema é tratado.
Cor Manuel Bernardo (Escritor)

4 comentários:

al cardoso disse...

Felizmente ainda alguem que se recorda e nos faz recordar. Bem hajam.

Um abraco.

A. João Soares disse...

Ainda há portugueses que cultivam os valores da ética, do civismo, do humanismo e do amor aos antepassados, isto é, à história do País.
Merecem o nosso aplauso.
Abraço

PintoRibeiro disse...

Vergonhoso e lamentável.
Um excelente e oportuno post já que pouco mais podemos fazer.
Bom dia e boa semana, abraço,

A. João Soares disse...

Podemos e devemos fazer eco do esforço e do sacrifício dos nossos heróis votados ao esquecimento pelos políticos.
Eles lutaram seguindo o lema «honrai a Pátria que a Pátria vos contempla».
E depois? Quem é que tem recebido condecorações e títulos honoríficos ao longo destes anos? E ainda há militares que se sujeitam a ir arriscar a vida pela Pátria de desconhecidos!
Um abraço