sexta-feira, 24 de agosto de 2007

O vento que canta

Certa vez, uma industria de calçados desenvolveu um projecto de exportação de sapatos para a Índia.
Em seguida, mandou dois de seus consultores a pontos diferentes do país para fazer as primeiras observações do potencial daquele futuro mercado.
Depois de alguns dias de pesquisa, um dos consultores enviou o seguinte fax para a direcção da industria:

"Senhores, cancelem o projecto de exportação de sapatos para a Índia. Aqui ninguém usa sapatos."

Sem saber desse fax, alguns dias depois o segundo consultor mandou o seu:

"Senhores, tripliquem o projecto da exportação de sapatos para a Índia. Aqui ninguém usa sapatos ...ainda."

MORAL DA HISTÓRIA:

A mesma situação era um tremendo obstáculo para um dos consultores e uma fantástica oportunidade para outro.
Da mesma forma, tudo na vida pode ser visto com enfoques e maneiras diferentes.
A sabedoria popular traduz essa situação na seguinte frase:

"OS TRISTES ACHAM QUE O VENTO GEME;
OS ALEGRES ACHAM QUE ELE CANTA".

O mundo é como um espelho que devolve a cada pessoa o reflexo de seus próprios pensamentos.

A maneira como você encara a vida, faz TODA diferença.

Extraído de: http://www.flogao.com.br/claugisele/foto/120/112961325
Cumprimentos à amiga Gisele Claudya, a mais jovem inscrita no «CVS Sempre Jovens»

2 comentários:

al cardoso disse...

Como dizia e provava o Albert Einestein: (creio que escrevi mal o ultimo nome) "Tudo e relativo"

Um abraco f/algodrense.

A. João Soares disse...

É com base nessa relatividade que se distingue o optimista do pessimista. É na maneira de s encarar a realidade que se é mais ou menos feliz. Perante um mesmo facto, enquanto uns entram em pânico, outros mantêm a calma e conseguem raciocinar fria e logicamente.
Em certas ocasiões, gostava de manter sempre a calma e ter coragem de respirar fundo e mandar tudo à fava.
Um abraço