domingo, 29 de junho de 2008

Democracia vista por simpatizante do PS

Transcrevo esta mensagem recebida por e-mail do Alô Portugal de 29-06-2008 às 20:20

Como se deve participar em democracia
(texto de um dos mails que costumo enviar ao partido no governo)
de Albino Pinho - Switerzland

Na qualidade de simpatizante do PS e na de emigrante, leio e assisto diariamente através da imprensa Portuguesa e Internacional ao crescente aumento de miséria no meu país. Sempre que algo vai mal é lógico que se acatem as culpas a quem nos governa, o estado de alma dos Portugueses actual é de baixar os braços de descrédito do deixa andar, já mal protestam, pois temem que as coisas ainda piorem mais.

A conjuntura económica Internacional também não é muito favorável á nossa recuperação económica, mas sinceramente como é que quem nos governa vai explicar aos Portugueses o aumento dos que cada vez tem mais, contrastando com a miséria, muitas vezes escondida, que aumenta diariamente?

E os salários de muitos administradores de empresas públicas? Que como escrevia outro dia um jornal Suíço, em muitos casos são 22 vezes maiores do que o salário médio de um Português. Não se encontra explicação para tamanha diferença. Que explicação dá o governo ao país sobre estas injustiças?

Tudo isto me magoa profundamente, pois assisto outra vez à debandada de muitas famílias para a emigração, muitas para aqui, e muitas dessas famílias até já tinham ido de vez há uns anos para as suas terras.

As forças da extrema-direita aproveitam-se, como é lógico, para levantar velhos fantasmas, é preciso que a democracia dê respostas antes que a crise social se agrave ainda mais. Pois como a história nos prova só em democracia e com justiça social é possível sair de qualquer crise económica.

Que o governo não se coíba de falar nos que sofrem, mas com modéstia, que lhe dê uma esperança sem crispações, sem altivez, que não fale em números
quando lhe são favoráveis, mas que reconheça os seus próprios erros e seja mais humilde, a começar pelo Primeiro Ministro.

De um Português que ama o seu país. Que ama a democracia e a dignidade da pessoa humana.

Com os meus melhores cumprimentos
Albino Pinho Switerzland

4 comentários:

Carlos Rebola disse...

Amigo A. João Soares
Este E-mail do português emigrante Albino, é mais um alerta sobre o estado do nosso Portugal visto de fora.
É revoltante a hipocrisia e arrogância, com que os nossos governantes falam querendo convencer os portugueses que lutam diariamente pela sobrevivência com resultados cada vez piores, que o país está a progredir e no caminho certo. É revoltante a desfaçatez com que nos mentem. Será que o primeiro-ministro e os restantes membros do governo já perderam a noção da realidade, ou para eles o país é constituído por meia dúzia que vivem cada vez melhor e cada vez muito melhor à custa daqueles muitos que vivem cada vez pior?
Agora têm o milagre do preço do petróleo para justificarem a crise, preço do petróleo que está a encher os cofres do Estado, os já recheados cofres das petrolíferas até que o colapso aconteça para dizerem que tudo foi culpa da crise internacional. A estratégia do governo parece-me ser levar o país ao caos, diz que não deve financiar os factores de produção como se vê na agricultura nas pescas e noutros sectores porque os contribuintes não devem arcar com as custas desses subsídios, mas obrigam os mesmos contribuintes a subsidiar, aeroportos, TGV´s e auto-estradas para benefício só de alguns (essa coisa do turismo é uma falácia), quando os factores de produção beneficiariam todos.
Desculpe a extensão do comentário.
Um abraço
Carlos Rebola

A. João Soares disse...

Caro Rebola,
Um comentário nunca é extenso quando diz coisas aproveitáveis, sem repetições. Mau é o comentário que diz duas palavras que não facilitam a interpretação da ideia que pretendem expressar.
A crise não era evitável, mas os seus efeitos teriam sido menos negativos se o Pais não estivesse tão debilitado, houvesse menos injustiça social e fosse menor o fosso entre ricos e pobres e houvesse um esclarecimento mais verdadeiro e didáctico da parte dos governantes.
Foi criado um País de aldrabice, de falsidade, de indiferença, incompetência, desleixo. Muito há a fazer para recriar os valores éticos que desapareceram.
Sendo o emigrante Albino «simpatizante do PS», as suas palavras não podem ser acusadas de vir da extrema esquerda ou da extrema direita! Já no 10 de Junho o Presidente da Câmara de Viana do Castelo, do PS, disse palavras parecidas.
Abraço
A. João Soares

ali_se disse...

Como afirma o Carlos: já perderam a noção da realidade, para eles o país e as pessoas não interessam, o que interessa sim é estarem bem protegidos e seguros e por isso rodeam-se da tal meia dúzia que vivem cada vez melhor e o resto é um mal do mundo que não lhes apraz resolver.
Que falta de dignidade humanidade que estamos a assistir!
Cumprimentos
Alice

A. João Soares disse...

Cara Alice,
Para não sucumbirmos ao pessimismo a que os acontecimentos nos podem levar, sugiro uma leitura do post recente «Preocupados com as notícias do mundo».
É com estes «factores de risco» que temos de continuar a viver, mas devemos procurar contribuir para os melhorar, dentro das nossas possibilidades.
Cumprimentos
João