domingo, 13 de julho de 2008

A realidade em tons místicos

O espírito de tolerância que procuro manter leva-me a colocar aqui textos de qualquer sentido ou direcção, desde que estejam bem elaborados, apresentem intenções de isenção, e ajudem a ver os problemas por uma óptica diferente, sem a imporem. Se este espaço funcionasse como mesa redonda com assento para as mais diversas opiniões, sentir-me-ia satisfeito ao assistir ao debate urbano e aberto que nos deixasse mais esclarecidos sobre todos os factores do problema.
Desejo que este espaço contribua, com os seus textos, para que as pessoas despertem e melhorem as suas condições de vida, da colectividade em que estão inseridas e, enfim, de toda a humanidade. Só repudio palavras menos correctas e comentários facciosos, sem argumentação válida, a impor produtos mal definidos. Nesse sentido transcrevo para aqui o comentário, num post recente, de Mariz dona do blog Sou pó e luz :

Salvé!
Deixei de comentar a política em todas as suas vertentes e derivadas consequências. Quando um povo que elege os seus governantes e se deixa desrespeitar a si próprio pela má língua e desamor de si... nada mais resta senão deixar que o caos chegue - já que os governantes são a imagem retractada do seu povo. Se calhar só depois disso o povo acorde e logicamente a governação. Depois então sim, talvez as coisas mudem e seja a hora de se fazer cumprir Portugal - como diria Fernando pessoa - não esquecendo da duas Leis Universais que nos regem, para além doutras e são: Lei da Atracção e da Livre Escolha ou Arbítrio; o mundo nos seguirá e se espelhará, como aconteceu noutros tempos... já que as nossas raízes jamais se perderão; fomos um, senão o único país - leia-se povo - que "levou novos mundos ao Mundo!" - e essa missão continua...
Por isso comento este post.
Estou mais preocupada com o mundo - no sentido energético/vibracional... porque é por aí que se muda... do que propriamente do "como" e "porquê" a economia, a indústria, a bolsa, o "ouro negro" e o "el dorado", possam vir a ser os mágicos, os heróis e salvadores de todas as pátrias!
Poucos perceberam já, que não é por aí... é por outra coisa bem mais simples e bem mais ALTA: amor á terra e amor a si mesmos e consequentemente, amor ao próximo - e é por essa vibração interior que se vai espalhando, até tocar outros e então sim, o mundo salvar-se-á! Não como vai indo...
E isto nada tem de demagógico, ou de ficção, ou até de miraculoso. Está no REAL PODER de cada um, em operar essa transformação. É aí que Portugal e o mundo esperam a mudança, embora não venham actuando em conformidade.
O que escrevo aqui, pode ter algum som a "religioso" e de facto tem; apenas e só, dada a etimologia da palavra: Religarae! - derivada do latim; portanto RELIGAR ou RELIGAREM-SE consensualmente.
Isso porém não acontece... as pessoas colocaram de parte, essa VERDADE DE SI, esquecendo-se de SI. A busca desenfreada por aquilo que pretendem da vida e não "DE VIDA", derivou numa aposta errada. TER e PARECER, começaram a imperar e é actualmente a tónica da vivência mundial!
A TERRA ficou despovoada de quem a trabalha, ou por outro lado ficou tão saturada de químicos - visando a avidez, a ganância, etc. que, está a dar os últimos suspiros e pouco falta, para não mais haver alimentos que cheguem para todos. Os "adamastores do mundo" e seus servos, hão-de ter dinheiro e não como pagar a alimentação! - pena é que os "justos paguem pelos pecadores".
Esta minha exposição - que não doutrinária ou moralista... talvez mais ética e abrangente é a via, inclusive, cientistas há já que confirmam esta verdade... mas nem era necessário isso, basta cada um experimentar mudar-se e tudo muda em seu redor. Eu testei isso, e continuo a exercer essa máxima! Mas tudo isto tem a ver, com o passo que dei após o pedido de pré-aposentação ao Estado, tinha então 42 anos. Depois disso, ainda ministrei cursos de formação profissional no âmbito do protocolo empresarial e ética comportamental, mas a partir de 1998, não mais trabalhei… não por doença, mas porque o Universo assim o ditou e sem me aperceber, fui "obrigada" a seguir o que a vida me estava a confrontar - á imagem do que acontece na Índia e noutros cantos do mundo, pessoas há que se despedem da família, amigos, empregos e modos de vida e refugiam-se para locais mais ou menos isolados e dedicam-se quase por completo ao seu SER - o que não foi bem o meu caso, mas quando não vemos as coisas somos "colocados perante factos que nos devolvem o porquê das coisas e... ou seguimos por aí ou então as Leis são mais duras ainda!
Não pertenço, ou sequer sou filiada em qualquer religião - embora fosse por tradição familiar católica o que já não sou mais!
Mas porque muita coisa aconteceu até então... por isso "DESPERTEI".
Há uma frase de Roosevelt que sempre menciono: "é na tristeza que somos realmente testados, porque só quem desceu ao vale mais profundo, sabe o quâo é magnífico subir á montanha mais alta"!
Há portanto 10 anos que venho tentando subir a montanha. Porém quando olho para trás, dou-me conta que não passei sequer do sopé!

Agradeço a sua resposta, mas quando se tem a convicção do que se escreve e se actua em conformidade, como é o meu caso, é que se avaliam resultados... e parece-me que nunca é tarde para os experimentar.
Se leu alguma coisa no meu blog, verificará que o registo é o mesmo (…) A leitura dos meus outros posts - se é que não se incomoda em sair do seu cantinho - talvez consiga perceber melhor o que digo… até porque pessoas há que me comentam e têm precisamente a mesma postura... por alguma coisa é. Não deixo de me preocupar com o mundo em geral e não apenas e só com o nosso país em evolução - que não da melhor forma materialista - porque é a partir de nós, intrinsecamente que o trabalho começa aliado a um outro no terreno para quem goste e se sinta bem a SERVIR - de coração a coração, tal como vejo o voluntariado... quer seja com pessoas, animais, plantas, defesa portanto da CASA que é de todos! Faço a minha parte e vivo em paz, mesmo com o "ruído" em blogs e noticiários, etc. tudo fala das mesmas coisas mas ninguém actua... mas como Ghandy e outros deixaram como ensinamentos... nada que se compare com o que se lê por aí! Depois, é importante que as pessoas se ouçam no seu silêncio... é uma coisa estanha para a maioria que gosta da confusão e do barulho mental e só procura ainda mais poluição sonora no exterior! Ouvirem-se no silêncio é onde se escutam as consciências; só elas podem fazer mudar o mundo!
Era tão somente isto, que queria acrescentar.

Volto aqui para fazer um reparo... talvez assim me entenda melhor: quando falo em ruído nos blogs e ainda da verborreia que assola alguns, refiro-me - e desculpar-me-á, a ousadia, mas é difícil para mim, digerir - as "alternativas", em destaque neste blog. Se reparar bem, só a figura do post evidencia uma forma de estar completamente ás avessas do que deveria ser... e então depois quem lê umas tantas linhas como eu, apercebe-se de imediato do resto. É assim que as coisas não mudam! é assim que se desrespeita quem assim escreve e não só. Há qualquer coisa como ausência de decoro pelo ataque ao poder político que é o seu (dele) modelo - por isso é atacado! - caso a imagem não reflectisse o seu autor, ninguém falaria mal, pelo menos da forma grosseira como o fez.
Perdoe-me, mas isto não tem nada a ver consigo até porque o post nem é seu... mas é caso para perguntar porque o evidencia no seu blog, que é díspar absolutamente?! Acho estranhíssimo. Penso que as suas posições são bem mais moderadas e sensatas, com outro tipo de visão... - talvez a sabedoria dos anos que já passaram lhe dite que assim seja.
Grata por me ter dado a oportunidade de me expressar livremente.

2 comentários:

a casa da mariquinhas disse...

Meu caro João
Li este seu post ontem, e fiquei logo com vontade de comentar.
Como não tive tempo ontem, ficou para hoje...
Confesso que achei tudo isto muito confuso.
Pareceu-me depreender que terá havido uma troca de "piropos" entre bloguistas com ideias diferentes.
Aqui só aparecem as «justificações» de uma das
partes, pelo que se torna difícil analisar bem o assunto.
Para além de todas as dúvidas que me ficam, esclareça-me uma:
A quem é dirigida toda esta conversa?

Independentemente de a pessoa em causa ter ou não ter razão nas "acusações" que faz acerca de decoro (ou falta de) devo dizer-lhe que, nas rondas que faço pela blogosfera tenho encontrado blogues absolutamente vergonhosos! Pena que não haja poder para os
proibir, pois além de imagens mais que pornográficas, os textos que as acompanham são de fazer corar um carroceiro!!! (com o devido respeti aos carroceiros).
Classifico-os de obscenos.
E se há forma de interditar o acesso a certos sites de pornografia (não sei como, mas já me disseram que sim) aos nossos filhos/netos, em relação a blogues creio que não há como fazê-lo.
Isso preocupa-me, sim.
São coisas tão nojentas que me admira como alguém as possa pôr "no ar".
Desculpe este desabafo tão extenso, mas nem mesmo o belo tempo que está, e me leva à praia todas as tardes...faz mudar a minha maneira de pensar.
Um dia feliz.
Beijinhos
Mariazita

A. João Soares disse...

Cara Mariazita,
A resposta às suas dúvidas pode encontrá-la, melhor do que nas minhas palavras, na leitura dos seguintes postes e respectivos comentários em Do Mirante e no blog da Mariz.
Os posts são:
- «A crise altera comportamentos» e
- «A realidade em tons místicos»
Da sua leitura e da visita ao blog da autora tirará as suas conclusões.
Sou uma pessoa independente, isenta, tolerante, aberta a todo o tipo de argumentos lógicos que respeitem a liberdade de pensamento dos outros, pelo que achei interessante colocar aqui esta dose de misticismo à consideração dos comentadores.
Beijos
João