quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Câmara de Alcobaça não tolera críticas

Transcrição de artigo do Jornal de Leiria

Câmara censura obra artística por motivos políticos

A maioria PSD na Câmara de Alcobaça impediu a participação do professor universitário António Delgado, na qualidade de escultor, na Apple Parade, uma das iniciativas do Mundo da Maçã que decorre até ao próximo domingo nas ruas do centro histórico.

A maioria PSD na Câmara de Alcobaça impediu a participação do professor universitário António Delgado, na qualidade de escultor, na Apple Parade, uma das iniciativas do Mundo da Maçã que decorre até ao próximo domingo nas ruas do centro histórico.

A Associação de Produtores da Maçã de Alcobaça escolheu vários artistas aos quais pediu que decorassem 20 maçãs gigantes. Já os artistas estavam a trabalhar quando a associação reuniu com a Câmara, que anunciou que se recusava a apoiar o evento se António Delgado se mantivesse na lista de artistas convidados. A obra do escultor vai, porém, incluir a Apple Parade noutros concelhos onde for apresentada.

A maioria PSD prefere não comentar o incidente, mas Pedro Maia, da Direcção dos Produtores da Maçã, disse que nessa reunião os membros do executivo terão dito que a autarquia “não faz parcerias com pessoas hostis à Câmara”. De resto, a exclusão de António Delgado terá sido condição única para a colaboração do município no Mundo da Maçã.

António Delgado contesta a posição agora tomada pelo executivo e, em comunicado à imprensa, refere que não hostiliza a Câmara “porque é uma instituição do Estado” que “merece o maior respeito.

“O mesmo não poderei dizer dos senhores que a governam actualmente, como fica demonstrado pela chantagem da minha exclusão imposta à Associação”, justifica o socialista.

O escultor, com obra pública em Turquel, na colecção do Hospital Bernardino Lopes de Oliveira e na própria Câmara de Alcobaça, diz ainda que escreve no seu blogue enquanto pessoa que exerce o seu direito de cidadania e de oposição democrática.

O professor universitário caracteriza a tomada de posição do executivo como “mesquinha e retrógrada”, sobretudo “quando um dos direitos políticos vulgares, consagrado nas leis do Estado é, precisamente, a não exclusão dos artistas por razões políticas como esta”.

Mal-estar

O mal-estar entre António Delgado e os elementos PSD do executivo não é de hoje. Há vários meses que o professor universitário e militante do PS faz duras críticas à maioria no seu blogue Ecos e Comentários, grande parte das quais em tom de chacota, com ironia e sentido provocatório.

Sobressaem as montagens que o docente faz a fotografias, como a de uma postagem de Abril deste ano, quando, para falar da compra de um terreno em Alfeizerão, Gonçalves Sapinho é colocado entre bandeiras do PSD e maços de notas de dinheiro. Noutra imagem, o visado é o vereador Hermínio Rodrigues, colocado com ar embriagado com uma garrafa de vinho junto às casas-de-banho públicas do Mosteiro.

A forma como os autarcas social-democratas são retratados nas apreciações de António Delgado fez o presidente da Câmara perder a paciência em Junho, quando aquele professor se deslocou, numa comitiva da recém-eleita Comissão Política Concelhia do Partido Socialista, a uma reunião pública do executivo, para apresentar cumprimentos. Nessa ocasião, Gonçalves Sapinho explodiu, tendo acusado o professor da Universidade da Beira Interior de estar “abaixo de um porteiro”, considerando que quem ocupa um lugar político, “não pode estar mentalmente desviado”.

Ana Ferraz Pereira, 2008-10-02

4 comentários:

Luis disse...

É sempre a mesma coisa ! A ignorância, a incompetência e a mesquinhez dos nossos politicos!
Desta forma nunca mais seremos "GENTE"! Não passaremos de uns macacos.....

A. João Soares disse...

Amigo Luís,
Talvez seja pior do que numa aldeia de macacos, porque eles aprendem uns com os outros e, portanto, aceitam os conselhos e as correcções dos outros a fim de melhorarem o seu desempenho.
Por outro lado, nenhum bando de animais aceita um chefe incompetente e que se aproveite dos recursos do grupo para benefício próprio e dos amigos.
Por estas amostras, a humanidade está em degradação acentuada, talvez irrecuperável. Talvez, aqueles que apelidamos de bandidos estejam a ser os pioneiros da próxima civilização. Força e salve-se quem puder! será o lema, se os comportamentos governamentais continuarem pela rota actual.
Um abraço
João

ANTONIO DELGADO disse...

Estimado A. João Soares,

Obrigado pela solidariedade com esta referência. O assunto, quanto julgo saber, está na assembleia da Republica, na comissão de Liberdades e Garantias. Foi da propria AR que me telefonaram no dia em que saiu a noticia no jornal. Parece que querem fazer um inquérito. Depois foi curioso a Manuela Ferreira Leite dizer que o governo faz perseguições aos militantes do PSD e em Alcobaça a câmara governada pelo PSD faz censura aos criticos e opositores ao actual elenco. Pessoalmente tenho-me divertido com a situação. Possivelmente haverá algumas críticas no meu blog que possivelmente o Joao não poderá contextualizar, porque elas são a resposta a ofensas do presidente e elenco camarário à minha pessoa, devido ao que escrevo ou denúncio no blog. Ofensas que são para tribunal... Como chamar-me energúmeno, mosquito, ferúnculo desviado mental, abaixo de porteiro, bobo,burro palhaço, tudo de forma continuada e sempre em plenas reuniões de camara diante da imprensa. A ultima foi a censura do objecto por motivos politicos.

Como já disse várias vezes, é nestas terras do interior onde a luz da democracia não entra, que há um enorme trabalho a fazer no sentido de se mudarem as mentalidades atávicas.

Um abraço cordial e fraterno e obrigado pelo seu gesto.
António

A. João Soares disse...

Caro António,
Espero e desejo que lhe seja feita justiça e que a democracia no deu concelho comece a ser uma realidade à luz da Constituição e fora das amarras do poder local demasiado autoritário e egocêntrico.
Abraço
João