quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Portugueses na linha da frente

Depois do post Aluno português brilhou em competição no Japão e dos muitos factos semelhantes referidos na lista de links nele inseridos, surge agora a notícia que cita dois investigadores portugueses, Alexandre Correia, da Universidade de Aveiro, e Nuno Cardoso Santos, do Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa como pertencerem à «equipa europeia que descobriu um novo sistema planetário» constituído por três planetas semelhantes a Neptuno. Este sistema, agora conhecido por terrestres, e baptizado como "Tridente de Neptuno", tem, tal como o nosso sistema solar, uma cintura de asteróides e um dos planetas encontra-se em zona potencialmente habitável por seres parecidos com os humanos.

A descoberta constitui um passo na evolução da ciência do conhecimento do espaço, mas para nós representa mais uma prova de que temos cérebros que nada devem ao melhor que há no mundo, que não temem comparações. É a confirmação de que não há razões para pessimismos. Apenas precisamos de melhorar a capacidade cívica, a ética geral, e saber fazer melhores escolhas de gente válida para gerir com eficácia os valores nacionais, sem esbanjamentos, nem fanfarronices, nem arrogâncias, nem desejos desmiolados de enriquecimento rápido sem olhar a meios.

Imagem da Net.

3 comentários:

Fernanda disse...

Amigo João!

Somos um país pequeno,(des) governado por completo, totalmente à deriva...
mas temos, SIM, felizmente grandes valores.
Esperemos que surjam também na política pessoas competentes e honestas, com alta capacidade e competência.
Não será fácil a gente honesta querer enveredar por estes trilhos sinuosos e mal reputados, mas tenhamos esperança...

Beijinhos

A. João Soares disse...

Amiga Ná,

Não devemos perder a esperança. Hoje, tal como as coisas estão, as pessoas sérias não se arriscam a entrar nos antros da política, mas há-de vir o momento em que jovens honestos, competentes e com amor ao País, ousarão avançar reorganizar a vida pública, correr com os corruptos e gerir os nossos destinos de forma correcta para benefício dos portugueses sem pensar em proteger os do gangue.

Beijos
João
Saúde e Alimentação

Zé Povinho disse...

As escolhas que fazemos são más, o resultado é o que temos.
Abraço do Zé