sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Reformar o Estado e Cortar Gorduras para Vencer a Crise

Desde a campanha eleitoral, há ano e meio, temos vindo a ouvir promessas de «reformas estruturais» para «cortar gorduras», vencer a crise e a recessão e regressar ao crescimento e à melhoria da vida dos cidadãos. Como os números e os sinais da crise indicam, nada disso passou de fantasia e de palavras vãs.

Parece que os governantes, se comportaram como «neuróticos obsessivo» (de acordo com o conceito de José Gil em «Portugal, Hoje») que estão convencidos de que os seus pensamentos valem por acções, que o desejo de agir equivale a uma acção efectuada. E, como a realidade nos mostra, no caso dos nossos políticos, nem sempre as palavras correspondem a pensamentos claramente formulados. O próprio Vítor Gaspar, acaba por se distrair e confessa que não tomou as medidas mais adequadas ao problema que tinha entre mãos.

Agora, já passados 18 meses de governo se volta a falar que sem redução do Estado "haverá aumento de impostos em 2014" mas que o Governo está aberto a propostas sobre reforma do Estado e que aceita propostas sobre reforma do Estado até Junho de 2013, data em que terão já sido perdidos dois anos de retrocesso. E para refrear as esperanças optimistas e tirar ilusões falaciosas, logo Cavaco Silva alerta, para que Reforma do Estado vai levar muitos meses.

Mas, entretanto, uns «boys» fanáticos apoiantes e defensores incondicionais do seu líder, talvez movidos pelo objectivo pessoal de não perderem oportunidades de enriquecimento rápido à custa do Estado, afirmam e fazem circular por e-mails que já não há «gorduras» a cortar. Isso é total ausência de sentido de Estado, de dedicação ao bem público, falta de sensatez e noção das realidades.

Mas as pessoas que estão atentas interrogam-se:
Quantos assessores inúteis existem nos gabinetes dos governantes e deles dependentes?
Quantos «observatórios» existem sem servirem para nada que seja indispensável e realmente útil?
Quantas fundações são financiadas pelo Estado só para benefício dos seus administradores, etc...?
Quantas empresa são subsidiadas para produzirem touros e outras futilidades?
Quantos funcionários a receber como nababos estão inscritos como «trabalhando» no gabinete do PM? 57 ?
Quantos carros possui o Estado? Para quê?
Não chegariam dois (no máximo) por cada serviço?
E esses poucos que ficariam não poderiam ser mais baratos?
E a PR paga salário a quantos «colaboradores»?
Não poderiam ser reduzidos a 10% ou menos?

Gorduras? Para se aumentar a lista basta puxar pela cabeça e topamo-las a cada passo!!! Para quê tanta ostentação de opulência sem bases para a suportar?
Na realidade, os governantes e seus amigos e coniventes vêm vivendo muito acima das nossas possibilidades.

Efectivamente, se forem reduzidas as mordomias e simplificada a estrutura do Estado e a burocracia, as despesas ficarão muito reduzidas, com maior dinamismo da acção administrativa e sem tanta oportunidade ao enriquecimento ilícito e à corrupção.

Claro que depois haverá menos energúmenos a quererem ser políticos... mas daí não vem mal à Nação, pois darão lugar a pessoas sérias que não se importarão de contribuir para o engrandecimento de PORTUGAL, sem estar subjugados à ambição obsessiva do enriquecimento por qualquer forma, como vem acontecendo.

Enfim, isto exige um debate público, aberto, sem censura, com incentivo a que os portugueses possam exprimir o seu pensamento serenamente, sem amarras nem repressões. Oxalá os responsáveis consigam encontrar o melhor rumo para bem dos portugueses de hoje e de amanhã.

Imagem de arquivo

3 comentários:

O Guardião disse...

A ilusão das gorduras do Estado, que existem mas estão bem lá no topo onde não mexem nunca, bem como a fantasia de que o que é privado é melhor tem um pequeno senão, que é a experiência do que já se fez e que resultou num aumento dos preços e na garantia de lucros dos incumbentes. Quando será que alguém divulga os números totais das rendas que o Estado paga a quem ficou com os serviços que eram do Estado? Talvez muitos tivessem uma surpresa valente e mudassem de ideias num piscar de olhos.
Cumps

A. João Soares disse...

Caro Guardião,

Os interesses nacionais, a gestão do dinheiro público, tem-se agravado ao longo do tempo, a favor de amigos e ex-políticos. Agora torna-se necessária perspicácia dos governantes para identificar honestamente os problemas e, depois, coragem para os resolver, apesar das resistências dos notáveis que estão a beneficiar das situações.

Onde se podem encontrar pessoas sérias e corajosas ao ponto de enfrentar os interesses instalados?

Já pensou que os brasileiros que compraram os hospitais da CGD poderão ter feito amizade com um actual ministro que esteve no Brasil algum tempo e onde fez largos relacionamentos?

Neste mundo, nada acontece por acaso. E fazer amizades não é crime !!!

Abraço
João

Anónimo disse...

Quanto NOS vai custar a "casinha dos deputadozinhos", em 2013 !!

140.219.365,00 €

É quanto nos vai custar em 2013 a casinha da rua de São Bento onde se hospedam os Filhos da Pátria.

SEM CORTES NA DESPESA!

Orçamento da Assembleia da República - Ano 2013

Pág.6626 Diário da República, 1.ª série N.º 222 16 de novembro de 2012

U.M. Euro


01. DESPESAS COM PESSOAL 42.174.204,00

01.01 Remunerações certas e permanentes 31.531.365,00

01.01.01 Titulares de órgãos de soberania: Deputados 9.803.094,00

01.01.01a Vencimentos ordinários de Deputados 9.048.644,00

01.01.01b Vencimentos Extraordinários de Deputados 754.450,00

01.01.03 Pessoal dos SAR e GAB- Vencimentos e Suplementos 11.116.950,00

01.01.05 Pessoal além dos Quadros - GP´s 6.127.139,00

01.01.05a Pessoal além dos Quadros - GP´s: Vencimentos 5.563.180,00

01.01.05b Pessoal além dos Quadros - GP´s: Sub.Férias e Natal 518.959,00

01.01.05c Pessoal além dos Quadros - GP´s:

Doença e Maternidade/Paternidade 21.500,00

01.01.05d Pessoal além dos Quadros - GP´s: Pessoal aguardando aposentação 23.500,00

01.01.06 Pessoal contratado a termo 186.000,00

01.01.07 Pessoal em regime de tarefa ou avença 243.200,00

01.01.08 Pessoal aguardando aposentação (SAR) 76.300,00

01.01.09 Pessoal em qualquer outra situação 978.540,00

01.01.11 Representação (certa e permanente) 1.216.479,00

01.01.12 Subsídios, Suplementos e Prémios (certos e permanentes) 33.000,00

01.01.13 Subsídio de refeição 683.393,00

01.01.13a Subsídio de refeição (Pessoal dos SAR) 453.393,00

01.01.13b Subsídio de refeição (Pessoal dos GP´s) 3; 9 230.000,00

01.01.14 Subsídios de férias e de Natal (SAR) 1.017.270,00

01.01.15 Remunerações por doença e maternidade/paternidade (SAR) 50.000,00

01.02 Abonos Variáveis e Eventuais 4.195.074,00

01.02.02 Trabalhos em dias de descanso, feriados e horas extraordin. 470.000,00

01.02.02a Trabalhos em dias de descanso e feriados (SAR) 130.000,00

01.02.02b Horas extraordinárias (GP´s) 3; 340.000,00

01.02.03 Alimentação, alojamento e Transporte 155.000,00

01.02.03a Alimentação 87.000,00

01.02.03b Alojamento 33.000,00

01.02.03c Transportes 35.000,00

01.02.04 Ajudas de custo 3.060.412,00

01.02.04a Ajudas de custo: Funcionários SAR e GAB 143.234,00

01.02.04b Ajudas de custo: Outras 10.650,00

01.02.04c Ajudas de custo: Deputados 2.906.528,00

01.02.05 Abono para falhas 5.000,00

01.02.08 Subsídios e abonos de fixação, residência e alojamento 23.500,00

01.02.12 Subsídios de Reintegração e Indemnizações por cessação 418.342,00

01.02.12a Subsídio de reintegração (Deputados) 395.342,00

01.02.12b Indemnizações por cessação de funções 3.000,00

01.02.13 Outros suplementos e prémios 38.500,00

01.02.14 Outros abonos em numerário ou espécie 24.320,00


01.03 Segurança Social 6.447.765,00

01.03.01 Encargos com Saúde 486.650,00

01.03.01a Encargos com a saúde (SAR) 326.150,00

01.03.01b Encargos com a saúde (GP´s) 40.500,00

NOTA: Ñão se espere que os beneficiados com estes luxos (opostos aos dos seus equivalentes britânicos, por exemplo) mexam uma palha para cortar gorduras !!!!